Variedades


Simplesmente copiar algo pronto sem fazer alguma análise, sem retirar apenas elementos importantes ou mesmo sem reconstruir sentenças não são práticas adequadas ao fazer algum tipo de trabalho escolar, texto para as redes sociais ou sites. Nos trabalhos acadêmicos, a exigência é mais forte por não copiar coisas, principalmente em trabalhos mais relevantes como artigos de periódicos, dissertações e teses.

https://www.oblogdomestre.com.br/2020/01/Plagio.Kibar.Variedades.html
[Imagem: Open ClipArt Vectors]



É impossível não ler o que outras pessoas escreveram ou falaram sobre determinado assunto. Entretanto, quem passou determinado dado ou fez alguma afirmação deve ser citado. Caso contrário, temos algo sério, podendo ser considerado até crime, que é o plágio.

Plágio é o ato de copiar algo integralmente das outras pessoas e tomar como sendo seu, ou omitir a origem de trechos de conhecimentos ou ideias gerados por outras pessoas. O plágio pode acontecer por fotos, cópias integrais, gráficos, logotipos, resultados de pesquisas e muitas outras formas.

NAS MONOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES E TESES


No mundo acadêmico, há instituições e professores que chegam a conferir trabalhos por programas antiplágio. Isto não só permite verificar se houve algum trecho copiado de outros trabalhos, como evita dores de cabeça. Se professores aprovam monografias com plágio em suas bancas, futuramente o aprovado pode perder seu título e eles podem ser processados também.

É por este motivo, também, que junto com a citação de referências, pede-se a sessão pública de defesa e os orientadores querem versões parciais e discutir os trabalhos durante seu andamento. Com isso, eles percebem se o trabalho avança e se o aluno está fazendo. Se alguém fez seu trabalho, deve conhecê-lo.

NA INTERNET


A maior fonte de buscas para sites é o Google. Para ranquear os melhores endereços para uma dada pesquisa, diferentes métodos são utilizados.

Se o mundo acadêmico conta citações de autores como indicativo de que sejam relevantes, o Google usa mecanismo semelhante para elencar os melhores. Se vários sites apontam links para uma dada página, este seria um indicativo de qualidade.

Entretanto, este é apenas um dos critérios. O outro é justamente o plágio. Há pessoas e sites que simplesmente usam o recurso de Ctrl + C, Ctrl + V e, em pouco tempo, aparecem textos até com a mesma formatação em outros sites. O Google pune estes sites e os rebaixa em resultados de pesquisa, após análises de conteúdo duplicado. Os leitores também, ou por não acessarem, ou por desconfiarem da credibilidade.

NA ESCOLA


Quando as crianças começam a fazer exercícios de interpretação de texto ou simplesmente vão resolver questões de uma dada disciplina, precisam ser estimuladas a não plagiar. Uma das formas de fazer isto é pedir para que elas expliquem com suas palavras sempre, isto é, não copiem o que estava escrito lá dentro do texto.

Esta prática de tentar explicar algo possui outro benefício. Como você precisa descrever algo e não pode repetir, sua criatividade acaba sendo posta em funcionamento.

KIBANDO


Segundo o site Ferramentas Blog, falando também sobre plágio, e outros diversos sites na internet, o termo "kibar" - um baita internetês - surgiu como sinônimo de plágio na web por conta do site "Kibe Loco". O Kibe Loco kibou conteúdos de outros sites e isto foi além da web para a justiça.

O Blog do Mestre já foi kibado algumas vezes até em plataformas de estudantes, com uma cópia de uma postagem sendo uma impressão da página web. Se achar algo seu no site e desejar que seja referenciado (e que o conteúdo seja comprovadamente seu), entre em contato, mas temos o maior cuidado neste sentido, produzindo textos originais.


👉 E ainda mais para você: Maju, a TV e a espontaneidade


GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!