Ciência e Saúde

 

Há alguns anos, fala-se na economia verde se referindo a ações que movimentam a economia e são sustentáveis. Depois, outro termo surgiu, a expressão economia azul, que promete ser igualmente transformadora. Vamos saber mais sobre a economia azul e o que ela significa?

 

 

Um exemplo de economia azul
[Pesca é uma das linhas da economia azul, se feita respeitando a piracema. Imagem: Quang Le / Pixabay]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Situações curiosas: falando de sustentabilidade versus contágio pelo coronavírus

 

» Como eram as embarcações à época de Dom Pedro II?

 

» A saúde dos córregos urbanos

 

O QUE É A ECONOMIA AZUL?

 

A economia azul consiste no uso inteligente dos recursos que estão nos oceanos e corpos d’água, com geração de riqueza e preservação dos ecossistemas. É conhecida também como economia oceânica sustentável.

 

Um dos autores que já falaram sobre esse assunto é Günter Pauli, que chegou a publicar um livro de mesmo nome, o “Blue Economy”. A pesquisadora Mariana Pereira, em sua dissertação de mestrado na UnB, também estudou o tema e alerta para a distinção entre economia azul (com foco em geração de riqueza e sustentabilidade, com manutenção dos serviços ecossistêmicos) da economia oceânica (que envolve a exploração econômica, independentemente de como é realizada).

 

Dentre as tendências que chamam a atenção na economia azul é a geração de energia eólica. É um modelo de geração offshore, ou seja, em meio ao oceano, com investimentos no Brasil envolvendo essa forma de geração. Há outras tantas oportunidades na economia azul.

 

DESAFIOS E EQUÍVOCOS

 

Há menções ao assunto que falam que a economia azul, ao contrário da verde, não necessitaria de subsídios ou seria facilmente sustentável economicamente, afirmação que carece de atenção, por haver certo equívoco nela. Por mais que exista potencial de expansão, esse potencial depende de pesquisa e controle das condições oceânicas.

 

Toda exploração que atende à manutenção de ecossistemas, por si só, será limitada, pois o meio ambiente possui seus aspectos relacionados à regeneração. Isso precisa ser levado em conta não apenas como limitação, mas como condição a ser respeitada para que possa ocorrer exploração econômica no futuro.

 

O QUE REPRESENTA O AMBIENTE OCEÂNICO E COSTEIRO NO BRASIL?

 

No Brasil, de acordo com a Marinha, são 5.700.000 km² de jurisdição oceânica. Para se ter uma ideia de quão grande isso é, imagine metade do Brasil terrestre.

 

Dessa área gigantesca, para a qual se fala em “Amazônia Azul”, obtêm-se 80 % do gás natural, 95 % do petróleo e 45 % de todo o pescado que são produzidos pelo Brasil, e 95 % das mercadorias são por ela exportadas. Ao longo da orla oceânica, moram 80 % da população, índice que já foi superior, mas que caiu com o estímulo à ocupação do território do interior do País, em várias frentes, como a criação de Brasília.

 

A RELAÇÃO ENTRE A ECONOMIA VERDE E A ECONOMIA AZUL

 

A UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), em meio à Rio +20, apontou que havia uma relação importante entre as economias verde e azul. Ambas seriam parte de um objetivo maior, que é o da sustentabilidade.

 

As condições que mexem no meio ambiente em si também não são estanques e mexem ou no mundo terrestre ou no oceânico. A geração de lixo acontece também em terra, e afeta os oceanos, por exemplo.

 

PROBLEMAS NOS OCEANOS

 

Falando especificamente de problemas nos oceanos, que dificultam o desenvolvimento da economia azul, a UNESCO salienta alguns deles:

 

- Acidificação das águas oceânicas, comprometendo algumas formas de vida como corais e outras.

- Redução da segurança alimentar em alguns locais do globo.

- Mudanças climáticas e consequente mudança dos níveis oceânicos.

- Deterioração de ambientes de orla, cuja economia gira muito em termos de turismo cultural e natural.

- Muitas formas de energia não renovável serem exploradas em oceanos, apesar de haver o potencial para as renováveis.

- Poluição advinda das atividades humanas, como esgoto e resíduos de agrotóxicos e defensivos agrícolas.

 

UM MUNDO OCEÂNICO PARA O BRASIL PESQUISAR E GERAR RIQUEZA

 

Dentro da jurisdição oceânica brasileira, temos algumas ilhas e arquipélagos com muitas riquezas naturais, e que são ambientes de pesquisa e soberania brasileira. Na sugestão de post da linha azul 👇🏻, você fica conhecendo mais sobre esses territórios especiais:

 

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 Os arquipélagos do Brasil e o fuso próprio

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!