Biografias

 

As ruas pelo país, na maioria das cidades, recebem o nome de pessoas com participação política, cultural ou histórica, sendo uma homenagem para o futuro. Com o passar dos anos, mesmo que convivamos com todos esses nomes, nem sempre sabemos o que eles significaram um dia. Em Florianópolis-SC, por exemplo, existe um túnel chamado “Antonieta de Barros”, pelo qual centenas de pessoas passam todos os dias.

 

Quem será que foi essa importante pessoa na história catarinense e nacional? Vamos descobrir!

 

 

Era assim a pessoa que você vai conhecer nesse post!
[Retrato de Antonieta de Barros, Imagem: Fundação Cultural Palmares]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» A educação montessoriana

 

» Por que é importante a representatividade?

 

» O que se comemora no mês de outubro?

 

ONDE NASCEU E VIVEU ANTONIETA DE BARROS?

 

Antonieta de Barros nasceu em Florianópolis, no dia 11 de julho de 1901. Naquela época, a capital ainda era chamada de Desterro. Somente existe o registro da mãe, a escrava liberta Catarina Waltrich, com rumores de que o pai seria de uma família tradicional do estado.

 

A vida de Antonieta de Barros prosseguiu em Florianópolis, com importância histórica na educação e na política. Essas duas esferas que são capazes de mudar a vida das pessoas, naquela época, eram muito pouco acessíveis às mulheres, ainda mais para uma pessoa negra.

 

A VIDA NA EDUCAÇÃO E NA POLÍTICA

 

Antonieta de Barros foi uma das três primeiras mulheres a serem eleitas no Brasil. Em seu estado, segundo o jornal El País, até 2020 não houve nenhuma outra representante negra na assembleia. 

 

Antonieta foi eleita deputada estadual em 1934. Esse marco aconteceu apenas dois anos após o direito ao voto facultativo ser dado às mulheres, no Brasil. Mais tarde, no ano de 1947, foi reeleita.

 

Antes disso, Antonieta teve um grande salto em sua vida com a alfabetização, que ainda não era para todos. A mãe dela vivia como lavadeira, atividade que a sustentava e seus três filhos. Outra atividade que Catarina desempenhou foi ter uma pensão de estudantes, e foram eles que ensinaram a Antonieta o que eram as letras, a escrita. Depois, por curiosidade, Antonieta leu mais e mais e cresceu no conhecimento.

 

Aos 17 anos, Antonieta de Barros fundou um curso de alfabetização para adultos desfavorecidos em recursos financeiros. Além de educar pessoas carentes, como excelente professora, também ensinou alunos mais abastados em colégios tradicionais do centro da cidade, como o Catarinense e Colégio Coração de Jesus (atual Bom Jesus Coração de Jesus), além do Colégio Estadual Dias Velho (atual Instituto Estadual de Educação).

 

Antonieta também foi cronista de uma revista local por anos. Um sonho não realizado foi o de cursar o ensino superior, mais especificamente a Faculdade de Direito.

 

O DIA DO PROFESSOR

 

A Lei Nº 145 de 12 de outubro de 1948, de autoria de Antonieta de Barros, criou o dia do Professor e feriado escolar na data de 15 de outubro, valendo apenas para Santa Catarina. Depois, em 1963, já no período Liberal-Populista, o presidente João Goulart transformou a data em nacional.

 

OUTRO GRANDE EDUCADOR BRASILEIRO

 

Agora que você já conhece parte da biografia de Antonieta de Barros, que tal saber mais de outro grande educador? Na sugestão de post da linha azul 👇🏻, você conhece a trajetória de Paulo Freire:

 

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 O que fez Paulo Freire?

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!