Cultura e Comportamento

 

O uso ou a falta de roupa são questões culturais e que variam de país para país. No Brasil, mesmo que sejamos mais liberais, o topless, ou a prática de ficar sem a peça de cima do biquíni, mostrando os seios, não é comum nem bem vista, mesmo nas praias. Quando é praticada, como no caso da torcedora gremista que comemorou com topless, pode ser interpretada como técnica para se exibir.

 

A relação das pessoas com seu próprio corpo e a exposição varia muito. Há pessoas que passam a vida com pouca ou nenhuma roupa e fazem isso uma forma de vida, e a nudez seria algo banal. O mesmo vale para onde o topless é permitido, mas, como bem citado, trata-se de questão cultural. Algumas das motivações seriam um bronzeado mais uniforme ou a liberdade para se refrescar em dias de muito calor, direito que seria dado a homens e mulheres.

 

 

Mulher curtindo o topless
[Mulher que está fazendo topless. Imagem: stokpic / Pixabay]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Manspreading ou "homespalha"

 

» Naturais ou com silicone?

 

» Dar mamá em público é feio?

 

LOCAIS PERMITIDOS

 

Segundo o portal Terra, existem diversos locais ao redor do mundo em que se aceita a prática do topless: um dos berços teria sido Saint-Tropez, local francês que aceita até hoje. Também é possível ficar sem a parte de cima do biquíni na Ilha de São Bartolomeu (Antilhas Francesas); nas ilhas espanholas de Ibiza, Formentera e Tossa de Mar; nas praias estadunidenses de South Beach e Black’s Beach; na praia da Indonésia chamada Kuta (para turistas), na australiana Manly Beach. No Brasil, as mesmas praias a que se aplica o nudismo/naturalismo, seria possível o topless.

 

ONDE NÃO PODE

 

Segundo Lidiane, autora do blog d”A casa na mala”, países de origem islâmica e outros que não tenham o topless como algo cultural, ou sejam mais conservadores em diversos sentidos, não permitem que seja feito. Como exemplos, lista Malta, Marrocos, Tailândia, Malásia, a maioria das praias dos EUA, na Argentina e o Brasil.

 

EXPERIÊNCIA ESTRANHA

 

Brasileiras que foram ao exterior contam que a experiência de ir para locais onde o topless é permitido foi estranha no começo. Como temos a nossa cultura, que permite esse tipo de exposição apenas em situações íntimas ou no tão famoso carnaval, o olhar foi até de censura às pessoas que estavam mais expostas. Do outro lado, certamente quem era acostumado ao topless também estranhou uma pessoa com mais roupa, pois tudo que é diferente de nossas crenças chama atenção aos nossos olhos.

 

OS SEIOS E O QUE SE ATRIBUI A ELES

 

Quando se discute a respeito de mostrar ou não em público os seios, não há apenas o fato de ocorrer ou não essa exibição, mas todos os significados possíveis atribuídos. Os seios podem representar a sensualidade e a identidade da mulher, tanto que quando ocorrem doenças como o câncer, as mulheres acabam perdendo sua autoestima quando ocorre a extração, precisando de força para se recuperarem do medo da doença e da perda. A disseminação das próteses de silicone nas mamas também se deve a esse fator autoestima, que não pode ser negado.

 

Os seios também são sinal de vida, pois é deles que vêm o alimento das crianças. Nos últimos anos, mesmo no Brasil, as mulheres podem alimentar seus filhos em locais públicos se desejarem, pois é essencial à saúde deles. Os demais que estiverem no recinto devem tratar a mãe de forma respeitosa diante desse fato natural em nossas vidas, afinal, do ponto de vista biológico, é essa a função de existir um seio mais desenvolvido para as mulheres.

 

Há quem creia que os homens têm mais liberdade porque, no caso brasileiro, podem sair por aí com o peito à mostra (mesmo que não seja lá a coisa mais linda de se ver...). Não há qualquer sensualização dessa figura masculina sem uma peça de roupa, o que não ocorre em relação à mulher. A parte de cima da roupa de praia seria até mesmo uma forma de identificar pessoas quanto ao gênero, sendo usada até mesmo em meninas ainda crianças, mas, como tudo que existe, pode ser algo repensado e reconstruído ao longo do tempo.

 

Para que algo como o topless funcione, é preciso escolher quais significados subjetivos se quer manter: se será a liberdade de sair por aí sem a peça de roupa, mas sem qualquer conteúdo sensual ou de intimidade, ou um pouco mais de cobertura e um senso de intimidade, mas o desconforto em alguns momentos. E, na dúvida, é bom saber qual a visão coletiva no lugar onde se está, para evitar problemas.

 

O AUTOEXAME DAS MAMAS

 

Falamos um pouco sobre o topless e a relação das pessoas com ver ou não um seio feminino. Há outro ponto importante citado, que é o aspecto da saúde, pois a perda de uma mama em caso de câncer é algo sério, mas necessário em alguns momentos, e existe a cirurgia de recomposição depois. Na sugestão de post ali na linha azul 👇🏻, você pode rever algumas dicas do que observar no autoexame das mamas, que é um passo importante para detectar anomalias, ajudando no diagnóstico de câncer.

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 Sinais que você deve observar no autoexame das mamas

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!