Nossa responsabilidade sobre os animais que 'usamos'

watch_later 14 de fevereiro de 2016
comment Comentar
Cultura e Comportamento


Muitas pessoas passam a ser adeptas do vegetarianismo ou mesmo do veganismo. Isso não significa necessariamente que suas alimentações serão deficitárias (veja mais nos posts sugeridos) e ainda possui um significado especial de evitar o sacrifício de animais para satisfazer necessidades humanas. Até que ponto isso significa uma grande atitude? E que passo além pode ser dado ao pensarmos na responsabilidade que temos sobre os animais que ‘usamos’?

Leite de vaca


Optar por não consumir derivados animais é um bom passo na redução da demanda por seu sacrifício. Entretanto, nem todas as pessoas irão optar por deixar de consumir carne, leite, ovos e derivados destes, ou ainda outros subprodutos de origem animal, como objetos de couro, por exemplo. Porém a redução, como por exemplo um dia sem carne, pode ser benéfica à saúde. E, para a carne que for consumida, é preciso atentar às condições conhecidas como ‘bem-estar animal’, reduzindo o sofrimento dos animais para o abate, com processos mais imediatos e menos doloridos. Reduzir o desperdício no uso destes alimentos também é um ponto chave nesta questão.

Na produção de ovos, apesar de que não haja o sacrifício da vida do animal até o ‘descarte’, granjas avícolas sem gaiola restrita, piquete com pastagem e outras condições de bem-estar animal precisam ganhar espaço. Criar galinhas como se fazia antigamente, com espaço totalmente aberto, é inviável porque não há controle de produção.

A produção de roupas pode fugir ao uso de animais, com substituição ou por materiais sintéticos, ou com tecidos naturais de algodão e outras fontes vegetais. No uso de roupas, entretanto, as peles naturais de animais de caça deveriam ser proibidas, por não representarem apenas uma necessidade, mas uma ostentação desnecessária. Outros produtos exóticos que representam o sacrifício banal de animais, que não se destinam nem mesmo para alimentação, são proibidos e devem ser desestimulados e reprimidos por completo. Alguns exemplos que se pode citar: o ‘membro’ do boto, marfins de elefante, cabeças empalhadas de onças e leões, entre muitos outros.

Para refletir a respeito do tema, algumas charges como a mostrada acima e as a seguir, publicadas pela Comunidade do Facebook Mandar a la gente a tomar por **lo demonstram situações onde a condição homem animal estariam invertidas, e nos fazem pensar a respeito. Talvez esta consciência, e um amor maior pela Natureza ao redor, estejam faltando.

Animais de circo

Nariz de Rinoceronte

Charrete Tordilho Negro

Pé de coelho







GOSTOU DESTA POSTAGEM? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)