Parto natural ou cesárea?

watch_later 19 de agosto de 2014
comment Comentar
Ciência & Saúde

Vem surgindo um movimento oposto ao que há muito se via, na busca de trazer novamente as mulheres à forma de parir seus filhos segundo via natural, desmistificando o 'sofrimento' que se evitava. Comparando ambos os tipos de parto, segundo informações do Ministério da Saúde:
[Wanessa dá a luz ao segundo filho em parto normal.
Imagem: Folha de São Paulo]



- No período pós-cirurgia cesárea, há mais dor e dificuldade de andar, em contraponto à rápida recuperação e facilidade de amamentar no parto natural;

- O contato pele a pele e o aleitamento são mais fáceis com o parto normal, visto que a cesárea pode levar a febre, infecções e hemorragia;

- O risco de complicações no segundo parto é maior em caso de cesárea no primeiro, porém não significa que seja válido o mito 'uma vez cesárea, sempre cesárea'. A ruptura uterina é um mal que ocorre em raríssimos casos e não justifica um procedimento cirúrgico, podendo ser natural o segundo parto;

- Em cesáreas o bebê nasce, muitas vezes, prematuro e necessita ir à incubadora, enquanto no parto normal o bebê vai, sem escala, aos braços da mãe. As contrações uterinas e a passagem pela vagina estimulam o bebê para a vida. Ele só chegará à luz do dia quando estiver pronto.

O parto natural é uma recomendação da OMS, vistos todos os benefícios à saúde de mães e bebês, mas ainda sofre resistência por parte de algumas mulheres e, até mesmo por futuros pais, por uma cultura já criada em favor da cesárea. E que parto natural é coisa de pobre, também já se desmistificou, com os nascimentos de Benjamim (Gisele Bündchen) e João Francisco (Wanessa Camargo), por exemplo. Falar de parto de cócoras, então...

De forma prática, um dos grandes empecilhos para um parto normal também é a questão de tempo, visto que o bebê não avisa instantaneamente que irá nascer, e a cesárea é um procedimento mais rápido. Em relação a isso, uma cidade catarinense já permite a atividade de uma enfermeira que cuida da grávida, a encorajando e acompanhando o pré-parto e indicando o momento certo de atuação do médico obstetra, que chega em tempo próximo ao parto, que é sua função, tornando o parto natural semelhante à cesárea em termos de tempo dispendido. Esta solução também ampara a mulher e seu bebê, que é auxiliada por profissional da saúde em todo o tempo.

O que resta aguardar é que, em alguns anos, este processo de retorno ao parto natural se intensifique, assim como já aconteceram com o aleitamento materno e os cuidados na posição de deitar do bebê. Quebrar um padrão é difícil, porém maior é a busca pela saúde, ao começar e dar continuidade à vida.

Você também pode gostar de: (Ciência & Saúde) Sua pele e o verão





Þ Gostou desta postagem? Usando estes botões, compartilhe com seus amigos!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)