Sua pele e o verão

watch_later 18 de dezembro de 2013
comment Comentar
Ciência & Saúde



Durante o verão, o calor promove uma sensação maravilhosa de integração das pessoas com o sol, o mar e a natureza. As pessoas usam roupas mais leves e coloridas, e expõem mais sua pele aos raios solares, a fim de adquirir a cor do verão. Uma pele bronzeada é algo esperado por todas as mulheres, mas nem sempre o bronzeado acontece. O escurecer da pele nada mais é do que uma reação natural do corpo como forma de proteção, e não deve ser conseguido a todo custo. Em peles com pintas, sardas, muito claras ou que não se bronzeiam facilmente, o cuidado deve ser redobrado.

A exposição excessiva ao sol provoca, todos os anos, cem mil novos casos de tumores de pele somente nos brasileiros. Os grupos acima, incluindo também as pessoas com olhos claros, são os grupos de maior risco de doenças por exposição aos raios ultravioleta. E não adianta achar que um dia nublado é indicativo de não ocorrência de raios UV, pois NÃO HÁ DIA SEM SOL. O horário entre 10 e 16h deve ser evitado, pois é o intervalo de maior incidência de raios UV.


[Sol, calor, praia, verão. Quer coisa melhor? Imagem: Nina Agdal, Sports Illustrated]



  

A escolha das roupas e guarda-sóis é uma boa estratégia de proteção. Os guarda sóis que são confeccionados em Nylon oferecem quase nenhuma proteção, devendo ser evitados. Já os de algodão e outros tecidos sintéticos são melhores opções, com até 50% de proteção. No caso de roupas, segue a mesma lógica, com até 90% de proteção pelas roupas de algodão. Um bom chapéu também é fundamental, para proteger a pele do rosto e os olhos, cuja córnea sofre com o excesso de radiação, que pode levar à catarata. Óculos escuros também devem ser usados. Quando não se faz seu uso, durante um dia inteiro exposto à radiação, a insolação provoca forte cansaço visual, com vermelhidão e muito desconforto.

O protetor solar também é importantíssimo, pois reduz os efeitos da exposição ao sol. Para usar no dia-a-dia, um fator de proteção de 15 a 20 costuma resolver, exceto em casos indicados pelo dermatologista. Já para exposições prolongadas, o mais recomendado é o fator 30. Em todos os casos, se deve repetir a aplicação a cada duas horas.

Os efeitos sobre uma pele sem proteção vão de vermelhidão à câncer de pele, passando por queimaduras, envelhecimento da pele, rugas e/ou pintas. Com a combinação sol, areia, piscina ou água salgada, suor em excesso e outros ingredientes de verão, esses efeitos são acrescidos com a possibilidade de brotoejas, espinhas (que, para algumas pessoas, crescem mais rapidamente nestas condições) e micoses. Ninguém está livre das micoses, sendo recomendável uma boa higienização dos pés, com uma correta secagem após o banho e alerta com o aparecimento de fissuras, que são um prato cheio para microrganismos danosos.

Dentre os problemas causados pela falta de cuidado com a pele, o mais grave é o câncer de pele. E a prevenção é a mesma para os demais problemas. Os tipos mais comuns de câncer de pele são o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermoide. Menos comum e mais perigoso é o melanoma, que compõe 4% dos episódios de câncer de pele.

O Brasil é um país fortemente ensolarado, a diversão está batendo à porta e pedindo que todo o mundo saia para a diversão, curtir seu verão, mas com responsabilidade e cuidado. É fácil de cuidar da pele, com um pouco de disciplina para muita saúde. 





Þ Gostou desta postagem? Usando estes botões, compartilhe com seus amigos!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)