Variedades

 

No trânsito, o regramento não é apenas descrito pela Lei, mas representado fisicamente no ambiente. Há faixas e desenhos sobre a pista, ou mesmo placas dispostas verticalmente para indicar como deve ser a postura do motorista, ou ainda lhe fornecer informações úteis ao longo do trajeto. Considerando o código de trânsito brasileiro, vamos conhecer algumas dessas placas e o que representam?

 

 

Placas armazenadas para colocação posterior
[Várias placas prestes a serem usadas. Imagem: moritz320 / Pixabay]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Conhecendo melhor a geração distribuída

 

» O símbolo internacional de acesso

 

» Respeite um carro a menos

 

AS CORES PRINCIPAIS

 

Em geral, as placas são feitas com cores contrastantes e em tamanho de acordo com a velocidade da via. As placas brancas com bordas vermelhas são placas de regulamentação, que indicam regra ou proibição, como velocidade ou sentidos de circulação. Essas placas valem exatamente onde estão para frente.

 

As placas laranjas são utilizadas em condições especiais, quando há obras na pista. A cor foi escolhida em função da necessidade de atenção, visto que a resposta ao laranja para a visão do ser humano é a mais rápida de todas.

 

As placas com fundo amarelo são de advertência, indicando elementos e condições especiais antes de que ocorram, em torno de 50 m antes. Essas placas podem indicar curvas, pontes, semáforos, lombadas cruzamentos, bifurcações, dentre outras.

 

As placas de indicação possuem fundo azul ou verde, e indicam bairros, regiões, praias ou outros locais de interesse. Quando são pontos turísticos em destaque, podem ter fundo marrom. Por fim, existem as placas educativas retangulares e com fundo branco, como aquelas que dizem: “Está em dúvida, não ultrapasse!”

 

SINALIZAÇÃO ELETRÔNICA E LUMINOSA

 

Além das placas estáticas, que foram ganhando adesivação luminosa para se tornarem mais visíveis ao longo dos últimos anos, existe também a sinalização eletrônica e luminosa. Painéis com letreiros passam informações da pista, ou ainda os semáforos são desenhados de modo a sinalizarem o movimento permitido com suas lâmpadas.

 

CONHEÇA ALGUMAS PLACAS E SEUS SIGNIFICADOS

 

Vamos conhecer algumas das placas existentes e seus significados? Há semelhança ao redor do mundo, mas elas são definidas país a país. As que iremos apresentar são brasileiras.

 

Pare ou dê a preferência

 

Placas bem comuns em cruzamentos
[Pare (esquerda) ou Dê a Preferência (direita). Imagem: Márcia Pontes / Reprodução]

 

A placa de “Pare” indica que se deve segurar o veículo freado, conferir se não vem algo na via e então se inserir. A placa de “dê a preferência”, que também pode ser pintada no chão, indica que bastaria olhar se vem algum veículo e se inserir na via principal, sem frenagem obrigatória. Ambas as placas são facilmente identificáveis, pois possuem formas geométricas que não se repetem em outras.

 

Proibido estacionar ou Proibido Parar e Estacionar

 

Parar e estacionar possuem conceitos próprios na Legislação
[Proibido estacionar (esquerda) ou Proibido parar e estacionar (direita). Imagem: AutoPapo / Reprodução]



 

Na Legislação, é importante ver a nomenclatura de cada coisa e o que significa em seu contexto. Conversão é dobrar para outra faixa ou em vias com cruzamento, por exemplo. Estacionar significa ficar sem movimento indefinidamente, manter o veículo naquele lugar. Parar, por sua vez, significa manter o veículo sem movimento, mas ligado e freado.

 

Ponte estreita

 

Olhe nossa ponte estreita!
[Ponte Estreita. Imagem: Loja Viária / Reprodução]


 

Essa placa de advertência, vista pela primeira vez, parece apenas ser um estreitamento, que fica nítido pelo desenho. Em geral, as linhas retas com partes inclinadas, representam estreitamentos, mas nesse caso sempre existe a coincidência entre ser uma ponte e estreitar na ponte.

 

Passagem de nível com barreira

 

Placa bem comum em linha férrea na cidade
[Passagem de nível com barreira. Imagem: iSinaliza / Reprodução]

 

Apesar de ser pequena em proporção à malha rodoviária, nossa malha ferroviária está espalhada pelo Brasil. Em alguns casos, seja por desrespeito à faixa de domínio, seja para dar comodidade de passagem por partes das cidades, é preciso passar pela linha férrea. O desenho da placa representa os dois trilhos e, abaixo deles, os dormentes de madeira que suportam a ferrovia ao longo de toda a sua extensão. Nessas passagens de nível, há cancelas que impedem o tráfego quando o trem passa, e os carros passam sobre os trilhos quando essa cancela está aberta.

 

E A DOCUMENTAÇÃO?

 

Para poder dirigir, é preciso obter a aprovação em prova teórica (demonstrando que se sabe as Leis de trânsito e as placas) e prática (aplicando as Leis e dirigindo o carro). Mas, e se alguém oferece uma CNH Religiosa para você? Na sugestão de post que está na linha azul 👇🏻, você conhece a história de um senhor que possuía uma CNH assim:

 

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 A CNH Religiosa

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!