Curiosidades

 

Quando falamos em Coreia do Sul, diversas curiosidades históricas vêm à mente, desde a situação econômica complicada após a Segunda Grande Guerra (quando surgiram as Coreias), até o forte desenvolvimento econômico do país, baseado em grande desenvolvimento de empresas de tecnologia e formação educacional. Em um país tão moderno, berço de marcas famosas como Samsung e Hyundai, a bandeira nacional, que vamos conhecer a seguir, possui traços tradicionais e até mitológicos.

 

 

Veja a bandeira coreana e seus significados em detalhes
[Bandeira da Coreia do Sul. Imagem: Autêntica Bandeiras/Reprodução]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Saiba mais sobre a bandeira do Ceará

» A bandeira da Rússia

» A bandeira do Brasil

 

OS SIGNIFICADOS NA BANDEIRA SUL-COREANA

 

É até normal que não pensemos na bandeira como algo que se alinhe ao atual cenário sul-coreano, mas as bandeiras são carregadas de tradição, pois vêm de momentos, guerras, fatos e famílias históricas. Para interpretarmos essa bandeira, é preciso pensar naqueles traços pretos e, separadamente, no círculo central.

 

Nos traços pretos, há a simbologia dos “quatro elementos”:

 

Canto esquerdo superior: simbolizaria o céu (ar), com três linhas inteiras.

Canto esquerdo inferior: simboliza o fogo, com uma linha dividida e duas inteiras.

Canto direito superior: representa a água, com uma linha inteira e duas divididas ao redor.

Canto direito inferior: simboliza a terra, com três linhas divididas.

 

Observe que, nessas representações, os dois elementos imediatamente opostos estão em pontas opostas na diagonal da bandeira (ar-terra, fogo-água), e são representados também de forma igualmente oposta. Onde há uma linha dividida, nos outros tracinhos da diagonal, tem-se linhas inteiras, e vice-versa.

 

E essa dualidade fica ainda mais clara no círculo central. Ele é uma releitura do símbolo chinês yin-yang, mas sem aquelas outras duas bolinhas internas. Esse símbolo demonstra opostos como bem e mal, vida e morte, luz e escuro, macho e fêmea... A presença tanto do círculo central como dos tracinhos equidistantes e nas diagonais é a representação de um equilíbrio nessas dualidades.

 

Há outras interpretações, ainda, dadas aos tracinhos. Eles podem representar as estações do ano (primavera, verão, outono e inverno), pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste), aspectos como sabedoria, realização, vitalidade e justiça, dentre outras.

 

TAMANHOS E PROPORÇÕES

 

A proporção externa da bandeira é de 2V:3H, ou seja, são dois módulos de altura e três de largura. O restante da geometria é construído traçando as diagonais da bandeira.

 

No centro das diagonais, o círculo possui um módulo de diâmetro. De cada lado do centro, as ondas são formadas por dois círculos com meio módulo de diâmetro.

 

Os tracinhos pretos começam a um quarto de módulo do círculo central, são perpendiculares à diagonal. Aqueles que são inteiros possuem meio módulo de altura, um doze avos de largura e são espaçados um vinte e quatro avos entre eles, mesma largura quando os tracinhos são divididos ao meio. A largura total dos três tracinhos, com os espaços internos, é de um terço de módulo.

 

E A BANDEIRA COM O SOL-NASCENTE

 

Se a bandeira sul-coreana é cheia de símbolos e complexa, temos uma bandeira de um país naquele mesmo continente e que sediou uma Copa do Mundo FIFA™ de futebol masculino, com um fundo branco também, mas simples em detalhes. Estamos falando da bandeira do Japão, ou Hinomaru. Mais detalhes sobre essa outra bandeira asiática, proporções, curiosidades, você fica sabendo por meio da sugestão de leitura 👇🏻.

 

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!