A fistulação ou canulação em bovinos

por - sábado, fevereiro 22, 2020

Ciência & Saúde


O manejo e pesquisas com animais envolvem técnicas que nem sempre são conhecidas do público em geral, pois a produção de alimentos faz parte da rotina de alguns setores como agricultura e indústria, e não de cada casa. Nem é viável que todos produzam seu próprio alimento, pois faltariam tempo, espaço e conhecimento. Por outro lado, saber de forma real e sem alarmes para mais ou para menos como as redes sociais provocam é muito importante.

Na reprodução de suínos, alguns criadores usam feromônios e transformam uma porca de lata em porca de verdade aos cachaços (porcos machos). E na fistulação em bovinos, o que acontece? Vamos saber já, com informações advindas da Embrapa!


O QUE É A FISTULAÇÃO OU CANULAÇÃO?

A fistulação consiste na abertura de um canal da pele (cânula) até um determinado órgão de um animal (como touros e vacas, ovelhas e chibarros, bodes e cabras). Esta abertura é cicatrizada, e então é colocado um envoltório de silicone que consolida a abertura nas laterais e serve como tampa. A figura a seguir demonstra qual a estética final do procedimento de fistulação.

https://www.oblogdomestre.com.br/2020/02/Fistulacao.Canulacao.CienciaESaude.html
[Imagem: Revista Galileu]


O procedimento de fistulação teria começado a ser feito em animais desde o século XIX. Naquela época, entretanto, é provável que outros materiais e técnicas cirúrgicas fossem utilizadas.

POR QUE FAZER ESTE PROCEDIMENTO?

A fistulação permite que se estude animais vivos, sendo relevante para algumas pesquisas que envolvem o trato digestivo de animais. Com ela, pode-se testar dietas e verificar parâmetros químicos como ácidos graxos voláteis, pH e muitos outros.

Pensando no aspecto de sustentabilidade, os estudos envolvendo fistulação permitem controlar alguns elementos indesejáveis nos resíduos de alimentação (fezes). O principal deles seria o metano, vilão para o aquecimento global e que é gerado pelo setor pecuário por meio dos animais criados.

Também é possível pesquisar dietas para períodos de seca, verificando a digestibilidade das mesmas pelos animais. Uma doença importante, que pode levar bovinos à morte, é o timpanismo ruminal, em que se avalia alternativas preventivas e de tratamento por meio de fistulação. Há estudos visando, além da saúde animal, obter conhecimento que melhora a saúde humana, na produção de manteiga naturalmente enriquecida com ácido linoleico conjugado, importante na melhora de indicadores que são associados à doença de Alzheimer.  

O PROCEDIMENTO E NÚMEROS

Segundo a Embrapa, apenas um número mínimo de animais seria utilizado em testes envolvendo fistulação. Neste procedimento, as cirurgias seriam feitas por profissionais qualificados, dando atenção à cicatrização e assepsia do procedimento – necessárias para que o animal não venha a óbito.

Mesmo após a realização da fistulação, os cuidados com os animais precisam ser permanentes. Eles são acompanhados se estão em estudo ou não, respeitando um protocolo de uma comissão de ética em uso de animais.

NÃO SE CRIOU NADA MELHOR?

Saindo das motivações e argumentos apresentados pela Embrapa e partindo para outros contextos, a utilização de animais em testes e estudos é extensa. Nos últimos anos, diminuíram os testes de cosméticos em animais, com algumas marcas que baniram a prática. Entretanto, em outros casos, ela ainda é utilizada.

Os testes em seres vivos (ou sacrificados) começam pelos próprios humanos. É necessário fornecer medicamentos a pessoas vivas e avaliar seus efeitos positivos e contraindicações.

Nas faculdades de medicina, vários testes são realizados no ensino. Utiliza-se cadáveres de necrotérios ou animais sacrificados, pois a forma e estrutura de alguns sistemas dos outros animais são bem similares às dos humanos. Ratos são tradicionalmente utilizados para pesquisas de novos tratamentos, previamente aos testes em humanos.

Tantos exemplos demonstram a complexidade dos seres vivos em suas respostas a determinados estímulos, estilos de vida e dietas. Entretanto, seria fundamental que, ao longo do tempo, houvesse outras formas menos invasivas de chegar ao conhecimento necessário para o progresso na área científica.

POR QUE É POLÊMICO PENSAR EM FISTULAÇÃO?

Algumas reações envolvendo fistulação em bovinos surgiram após vídeos como este, onde as pessoas envolvidas estariam agindo com falta de respeito ao manusear os animais. Mas a questão é mais profunda.


[Vídeo: Argeu Soares]

Nas postagens sugeridas, abordou-se aqui no Blog do Mestre outros casos de utilizações de animais para diferentes fins e explanou-se a respeito. Bem-estar animal não pode ser algo relacionado apenas a cuidar de animais domésticos. Também não vale falar em vida natural e saudável e comer cinco frangos por semana para manter-se musculoso, sem pensar em complementação por vegetais, reduzindo a pressão no meio ambiente e mantendo um consumo razoável de carne.
Claro que, pensando no caso análogo, com certas adaptações, a um ser humano com colonostomia (um tubo que desvia parte do intestino, criando uma saída externa para as fezes), é de se imaginar que haja algum tipo de transtorno para os outros animais fistulados. No caso deles, não há algum órgão perdendo função, mas há uma abertura no corpo, o que causa incômodo para várias pessoas, mesmo que, segundo a Embrapa, não haja dor após a cicatrização.


👉 E ainda mais para você: Por que os chineses comem carne de cachorro?


GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!

#PartiuLer Mais essas sugestões de posts!

0 comentários

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Não aceitamos comentários com links. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!