O que o povo brasileiro dança?


Curiosidades


Define-se como dança um conjunto de movimentos ritmados do corpo na maioria das vezes acompanhados por música, formando assim uma coreografia, um bailado. A origem da dança no Brasil é muito difusa, e isso se dá pelo fato de o Brasil ser colonizado por vários povos de nacionalidades diferentes, de modo que cada um trouxe um pouco de sua cultura, logo, trouxeram também suas danças com os mais variados tipos de ritmo e som.

Sendo assim, a dança brasileira recebe influência de vários países, de maneira que não se restringe apenas aos estilos como o samba, frevo, forró. Há inúmeros outros tipos de danças espalhados pelo país, sendo cada um específico de uma determinada região.

Reunimos aqui algumas das várias danças que compõem nossa cultura, não deixe de conferir!


https://www.oblogdomestre.com.br/2018/11/DancasBrasileiras.Curiosidades.html
[Imagem: heblo/Pixabay]




Samba


Começando por ele, o saudoso samba surgiu através da mistura dos estilos musicais dos africanos com os brasileiros. A sua origem está ligada intimamente com o as raízes africanas, com os típicos rituais que faziam, onde muitas vezes faziam uso da dança. 

Com o passar do tempo, o samba deu origem a vários outros tipos de samba, tais como: Samba-enredo, Samba-canção, Samba carnavalesco, Pagode, Samba-exaltação, entre outros. 

Um ritmo agitado e muito associado com os estados da Bahia, São Paulo e principalmente o Rio de Janeiro.

Pagode


O pagode é um estilo derivado do samba. Nascido no Rio de Janeiro entre o final da década de 1970 e o início da década de 1980, o pagode é fruto das tradicionais rodas de sambas de fundo de quintal. Associado com os subúrbios cariocas, o pagode virou sinônimo de qualquer festa que acontecia em fundo de quintal regadas a bebida alcoólica, animação e muita cantoria.

Forró


De origem nordestina, o forró é uma dança muito popular e que faz muito sucesso nas festas juninas por todo o Brasil. Entre suas características, destaca-se o ato de arrastar os pés durante a dança e o fato dos casais dançarem com os corpos bem colados, onde esbanjam sensualidade. 

É um pouquinho do Nordeste, que se espalhou e encantou várias pessoas por onde passa.

Xote


Trazido da Europa como uma dança de salão portuguesa, o xote tem sua origem verdadeira na Alemanha. Foi trazido ao Brasil na bagagem de José Maria Toussaint, durante o segundo o reinado. 

Em pouco tempo os escravos trataram de adaptar esse bailado, adequando aos seus gingados, além de atribuírem movimentos mais flexíveis a dança, giros e movimentos corporais, o que dão total entusiasmo a dança. 

Apesar de muito associado com o Nordeste, há também o xote de gaúcho. Sem mencionar que o xote, assim como o samba, também deu origem a outros tipos de dança, tais como o xote carreirinha e o xote de sete voltas.

Frevo


Originado em Pernambuco entre o fim do século XIX e início do século XX, o frevo é uma dança que primeiramente surgiu como um ritmo carnavalesco, e que tem bases no maxixe. Sua principal característica é o ritmo extremamente acelerado e apesar de muito popular em época de carnaval, exige muito preparo, resistência e boa forma para realizar os passos mais complexos e acrobáticos. Além é claro, do pequeno guarda-chuva que acompanha a dança.

Dentre seus estilos, podemos citar o Frevo-de-Rua, Frevo-de-Bloco e Frevo-Canção.

Carimbó


Característica do Pará, a dança carimbó tem seu gênero musical de origem indígena, com influências da cultura negra e portuguesa. O carimbó é dançado com vestes caraterísticas: ambos dançam descalços, para as mulheres saias longas e floridas, blusas de cores lisas que mostram os ombros e barriga; para os homens, calças geralmente brancas, simples e com a bainha enrolada, quanto a camisa, são de cores fortes e se destacam por ter uma amarração na altura do umbigo. 

A dança é apresentada em pares, geralmente em círculos. É lembrada pelos passos de dança que arrastam os pés no chão (assim como eram os indígenas) e marcado pelo ritmo vibrante.

Chula


Vinda de Portugal, a chula é uma dança tipicamente do Sul, onde é dançada preferencialmente por homens, numa espécie de desafio. Para que comece a dança, é colocada uma vara de madeira no chão (de aproximadamente dois ou três metros), assim, é divido o espaço para que dois ou mais dançarinos possam se confrontar. 

O ritmo é marcado por meio da gaita gaúcha, de modo que os passos começam a ser apresentados: no confronto cada dançarino demonstra movimentos gestuais e sapateado, sempre indo até a vara de madeira e voltando. Ganha quem conseguir dançar sem perder o ritmo ou quem não encostou na vara de madeira que divide os espaços.

Chamamé


De origem paraguaia, a dança chamamé é muito popular nos estados do Mato Grosso do Sul, Rio grande do Sul e Santa Catarina. 

Suas raízes culturais são dos povos indígenas guaranis, os criolos argentinos e até de imigrantes europeus. O chamamé é popularmente conhecido pelo seu ritmo de dança ser em compasso ternário, ou seja, chamamé valsado. Suas vestimentas também chamam atenção: para a mulheres, vestidos longos e rodados, com mangas; para os homens, a típica vestimenta gaúcha, camisa lisa, colete, lenço, bombacha e bota.

Catira


A catira é uma dança com origem duvidosa, isto é, recebe influencias indígenas, africanas e europeias, mas que possui suas raízes nos estados de Goiás, norte de Minas e interior de São Paulo. Este estilo de dança é marcado pela organização e a forma com que se executa os passos, isto é, normalmente são apenas homens que dançam catira, em grupos de 6 a 10 integrantes. 

Os dançarinos são na maioria das vezes, boiadeiros ou lavradores. A catira é típica do interior do Brasil, principalmente da parte que recebe influencia caipira. Sendo assim, ficam divididos e enfileirados um ao lado do outro para dar início a dança. Suas principais características são os movimentos marcantes das mãos e dos pés, sendo regidos pela música de um violeiro que fica a extremidade das fileiras.

Vanera


A vanera é um estilo de dança característico dos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Sua origem é alemã, mas se desenvolveu por completo no sul do Brasil. O ritmo que marca a sua dança é cubano, em especifico habanera. Deste modo, a vanera com seu desenvolvimento deu origem a outros dois tipos de dança do mesmo etilo: a vanerinha e o vanerão. 

A vanerinha é o ritmo mais lento deste estilo de dança; já a vanera, é o ritmo modero; e o vanerão é o ritmo mais acelerado e que tem maior preferência. É dançado por casais ao som da gaita gaúcha, tem um aspecto de valsa, porém com mais mobilidade e liberdade nos passos.





GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!

CONTEÚDO PRODUZIDO COM APOIO DA RIBERUS: https://www.riberus.com.br/

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.