Estudos de destinos finais da Água


Ciência & Saúde


Para economizar água, devemos simplesmente substituir todos os equipamentos hidráulicos por novos, mais modernos e mais eficientes. Correto? Claro que não.

https://www.oblogdomestre.com.br/2018/07/UsosFinaisDeAgua.PorqueCaracterizar.CienciaESaude.html
[Imagem: G1]



Quando falamos de uso racional de um recurso, seja ele água ou energia elétrica, a troca de um equipamento pode vir a ajudar, mas precisa ser feita com bastante cuidado. Cada equipamento que se troca gera um descarte, que pode ser reutilizado em outro local, ou se tornar resíduo.

Ainda há a questão financeira. Trocar todos os equipamentos de casa a cada nova geração industrial despenderia grande investimento.

Por fim, ainda há outro fator ambiental. Existe um potencial de economia de água por um lado, e uma demanda industrial de água para produzir o novo equipamento, que será compensada se a vida útil dele não for muito curta.

Se a substituição por si só e desordenada não é a solução, o que mais pode contribuir?


Várias soluções são possíveis, como:

- Tomar banho nos horários mais quentes do dia, sem abrir o chuveiro no banho todo.

- Inserção de arejadores.

- Instalar sistema para usar água pluvial.

- Escovar dentes e fazer a barba sem deixar a torneira aberta direto.

- Caso todos acordem e tomem café juntos, acionar a descarga após o último fazer o "n° 1".

- Evitar dar descargas seguidas, pois na segunda os dejetos podem não ser adequadamente despachados.

- Usar válvula de descarga ou vaso com caixa acoplada que tenham dois estágios.

- Limpar calçadas varrendo.

- Lavar o carro usando balde.

- Reuso de água cinza.

- Ter casas com terrenos mais permeáveis (terreno gramado não exige lavagem como calçada impermeabilizada).

- Evitar de entrar com carro ou calçado sujos dentro de casa (tentar limpar antes).

- Usar sacola retornável de pano para secos e de ráfia para refrigerados e congelados.

- Dentre muitas outras.

E como definir o que pode ser feito?


Principalmente naquilo que envolve investimento, é preciso otimizar o uso de recurso financeiro tanto como de água. Vamos pensar no orçamento doméstico. Se você ver os dois últimos meses o quanto de dinheiro sobrou e notar que gastou menos mês passado, isso te indica algo?

Pode até representar um alívio no bolso, mas não subsidia decisões. Agora, se você souber quanto representa cada despesa em seu orçamento, pode pensar em estratégias mais efetivas atuando naquilo em que gasta mais.

Para água, usa-se a mesma ideia. São levantados os consumos e sua representatividade no total, em estudos de usos finais. Para cada edificação há variações, e um estudo assim demanda tempo e disciplina. Em casas, ainda há o inconveniente da privacidade ou o cansaço em colaborar por parte dos moradores, ao longo do tempo.

Mas o esforço vale a pena. Sabendo o que é mais representativo, direciona-se melhor os recursos a investir nas estratégias que atuem nessas formas de consumo. E, quando o que é envolvido é comportamento ao consumir a água, todas as soluções podem e devem ser adotadas.

Estudos de usos finais de água já foram praticados no exterior. No Brasil, pesquisas em edificações públicas, comerciais ou residenciais uni e multifamiliares já foram realizadas no âmbito de iniciação científica, graduação e pós-graduação. Para conferir, basta buscar nos repositórios de universidades e laboratórios de pesquisa.



👉 E ainda mais para você: Os três porquinhos e a Mata Atlântica



GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.