Presidente ou Presidenta?

watch_later 25 de julho de 2016
comment Comentar
Língua Portuguesa


No momento, nenhuma das duas formas, afinal Michel Temer assumiu 😉... Saindo da brincadeira, desde que Dilma Rousseff assumira a Presidência da República, muito se discutiu a respeito do assunto. E, para falar a respeito dele, é preciso deixar de lado algumas opiniões equivocadas, como querer forçar modelos não aplicáveis para explicar um suposto erro. Quando o trema ( ¨ ) foi praticamente extinto de nossa língua, houve quem dissesse ser impossível, e que ‘linguiça’ seria falada de outra forma, o que se provou não ser verdade mais tarde, enquanto que liquidação nunca teve seu trema respeitado nas propagandas comerciais... Esta já é outra discussão, mas vamos ao caroço-da-questão já no parágrafo a seguir.

Presidenta
[Imagem: Spotinks]

» (sic)

Ambas as versões, segundo diversos estudiosos da Língua, estão corretas. A questão está em escolher qual usar (e porque defender) e qual delas será consagrada pelo uso. Quem defende a versão ‘a presidente’ diz que outros nomes como gerente, estudante e afins, seguindo a mesma lógica, deveriam assumir as formas ‘gerenta’, ‘estudanta’ e etc., o que é algo certamente forçoso. Considerando-se este modelo, presidente seria um substantivo comum-de-dois-gêneros cuja flexão é dada pelo artigo.

Jornais impressos e revistas adotaram ‘a presidente’ já na após a eleição ou mais tarde. O mesmo pode ser percebido para os jornais televisivos, que mudaram de termos, de maneira semelhante ao ‘risco de vida’ e ‘risco de morte’ e outros tantos exemplos.

Entretanto, em dicionários e na literatura, muito tempo antes de haver a eleição de Dilma já havia registro da versão ‘presidenta’. A seu favor, a comprovação de existência e também o fato de ressaltar a condição feminina no cargo, assim como ‘prefeita’ e ‘governadora’. Como exemplo de feminino que termine em ‘ta’ tem-se ‘elefanta’ ou, raramente usado, o termo ‘giganta’, que indicariam que pode haver essa forma de flexão de gênero. Vale ressaltar que, na Língua, nem tudo é regra, há casos e casos.

Depois de discutir o substantivo feminino, parte-se para o marido de uma governante, a versão masculina de primeira-dama. Seguindo a regra, poder-se-ia pensar em primeiro-cavalheiro, ou há quem diga primeiro-damo (sic), mas esta é uma terceira história...



E ainda mais para você: A Liga Nacional do Raio-X




GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)