O mosquito é da Dengue ou da Febre Chikungunya?

Ciência & Saúde


Essa é uma legítima aplicação do famoso ditado de ‘matar dois coelhos numa cajadada só’. Na verdade dois não, quatro. Os mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus são vetores não só do vírus que causa a dengue, assim como o vírus causador da malária, zika vírus e da febre Chikungunya (alguns autores já adotam a forma aportuguesada Chicungunha), chamado de CHIKV.

Originalmente, o mosquito da dengue não era vetor da doença. Mas, após ocorrências nos continentes da África e Ásia e, mais tarde, no país vizinho ao Brasil, a Guiana Francesa, o alerta ficou determinado, visto que os mosquitos do gênero Aedes seriam capazes de transmitir o vírus CHIKV. Os casos registrados no Brasil, até então, foram por contaminação de pessoas que viajaram ao exterior, mas não é descartado um surto caso medidas preventivas sejam tomadas.

Vejamos a seguir quais são estas medidas preventivas e demais características da febre Chikungunya.

Dengue, Malária e Febre Chikungunya
[Imagem: David A. O’Brochta]


A única medida de prevenção passa justamente pelo primeiro ponto de que tratamos: o combate ao mosquito, com medidas simples que visem evitar locais propícios à sua reprodução, com água parada e limpa. Vasos de plantas devem receber areia nos pratinhos, caixas d’água devem ser bem fechadas, pneus velhos guardados apenas se estiverem furados e em local coberto, entre outras medidas. Ainda não há vacina contra o vírus CHIKV.

Os sintomas da febre Chikungunya e da dengue são semelhantes no início, apesar de que sejam vírus bastante distintos e que não seja comum observar hemorragias nesta primeira. Já ter tido dengue alguma vez não elimina a possibilidade de ser infectado pelo vírus CHIKV.

Em sua fase aguda, os sintomas são: febre alta e repentina, acompanhada de dor de cabeça; dor muscular (mialgia), erupções na pele, conjuntivite, vermelhidão e dor nas articulações. A dor forte nas articulações, que chega a impedir os movimentos e pode permanecer por meses após o fim da ocorrência de febre, é o sintoma mais marcante.

Sendo, por meio de exames, detectada a presença do vírus que causa a febre Chikungunya, é importante o isolamento do paciente, a fim de que não seja picado por outro mosquito e comece um ciclo de transmissão. Com esta confirmação, por não haver vacina, o tratamento é sintomático.


E ainda mais para você: Saiba mais sobre o vírus Ebola





GOSTOU DESTA POSTAGEM? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.