Cultura e Comportamento

 

Em Cubatão (SP), em março deste ano, um menino foi flagrado tentando vender aviões, sentado em um banco de praça. O pequeno Arthur passou algum tempo fazendo os aviões de papel decorados e com estampas diversas, mas a mãe não sabia da intenção de vender toda aquela criação. Por fim, foi ela quem arrematou todos os aviões e levou o menino para casa.

 


Olhe os aviõezinhos que ele estava tentando vender!

[Aviõezinhos que estavam à venda. Imagem: G1 / Reprodução]



 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Que tal andar de bicicleta?

 

» Como funciona o programa de Jovem Aprendiz? E a formação profissional de jovens em nosso país?

 

» Quem inventou o trabalho remunerado?

 

ANTES DA BARRACA DE AVIÕES

 

O celular do menino parou de funcionar porque pegou umidade, após cair na maré. A ideia de fazer os aviõezinhos e vender era justamente para conseguir comprar um celular novo. A mãe, por mais esforço que fizesse, não conseguiria comprar um aparelho novo naquele momento.

 

O NEGÓCIO ESCONDIDO

 

O menino passou o dia todo fazendo aviões, falando à mãe que faria. Ela imaginou que poderia ser apenas uma brincadeira de criança, não uma ideia para levantar dinheiro.

 

À tarde, um dia após a produção dos aviões, o menino sumiu de casa e foi para a praça onde costuma ir brincar para vender aviõezinhos pequenos por R$ 0,10, médios por R$ 0,25 e grandes por R$ 1,00. Quando a mãe percebeu a falta e achou a criança, arrematou tudo por R$ 3,00, mas o menino sabia que não era o suficiente para sua compra pretendida, e contou que algumas crianças o chamaram de maluco, que ninguém iria querer comprar os aviões de papel.

 

A VEIA EMPREENDEDORA

 

Ao contar a nossa estória, temos o princípio do trabalho e a motivação que faz as pessoas quererem empreender e crescer. Para negócios e objetivos maiores, a ideia é essa: criar algo que possa chamar a atenção (o avião colorido), trabalhar com a venda (modelos melhores custavam mais caro) e atingir o objetivo (comprar o celular).

 

O menino não conseguiria comprar o que queria, mas ele pensou em todos os passos lógicos para isso. Se não foi pela venda, várias pessoas se compadeceram do menino e tentaram ajudar, fazendo doações, ou seja, a propaganda foi boa!

 

Houve quem tenha pensado pelo outro lado e visto que ele seria um menino pobre e que não teria a mesma condição de outros, ou que precisaria buscar rotas alternativas para ter dinheiro. Cabe respeito a essas opiniões nas redes, mas é preciso se atentar que o menino não estava passando fome ou sem um lar, mas buscando um item para brincar e usar algum jogo on-line.

 

Se sua mãe não tinha dinheiro para comprar, isso não é um problema grave, pois o menino não precisa do celular para viver bem. É um desejo com outros tantos que temos quando somos crianças, e que bom que ele pensou que trabalho seria a forma de conseguir o que quer. Que ele não vá mais para a praça vender coisas, mas mantenha esse pensamento quando crescer.

 

SEGURANÇA E TRABALHO DE CRIANÇAS

 

A mãe sabia que era arriscado o filho ficar na rua e nunca apoiaria a situação. O filho fez escondido justamente por isso. Por mais que seja interessante que ele tenha esse interesse em fazer algo, progredir e atingir alguma meta, ainda não é o momento de ele se lançar. É interessante trabalhar essa veia empreendedora, mas em segurança.

 

Quando somos crianças, precisamos de tempo livre para viver nossa imaginação, brincar e crescer com a alegria dessa idade. Por outro lado, é fundamental que, crianças sendo crianças, aprendam que dinheiro é finito e que seu uso precisa ser consciente, e essa é uma lição que precisa vir de cedo. A mãe não comprou porque não tinha dinheiro, e esse motivo precisa ser claro para os filhos.

 

É ruim ver uma mãe se sentindo culpada por um filho fazer escândalo num supermercado por causa de algo de lá, por exemplo, sendo que não é errado não comprometer o orçamento de casa por birras. Entender essa relação entre o que temos e o que compramos faz parte da educação.

 

DESCOBRINDO O TESOURO DE BRESA

 

Talvez precisemos ter o cuidado de como fazer isso, mas precisamos inspirar não só no pequeno Arthur, mas em todas as crianças, a buscarem o Tesouro de Bresa em suas vidas. Sabe que tesouro é esse? Na sugestão de post da linha azul 👇🏻, contamos a você sobre esse tesouro:

 

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 Descobrindo o tesouro de Bresa

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!