TV

 

Durante anos, a Senhorita Doubtfire, interpretada por Robin Williams em “Uma Babá Quase Perfeita” apresentava uma curiosa estória com um drama familiar e o nascimento de um personagem de TV. Quando vemos essas estórias, podemos pensar que não é assim que acontece na vida real, mas há um pouco disso em alguns personagens, como o Louro José, personagem de Tom Veiga, falecido em novembro do ano passado. Vamos ver um pouco mais dessas semelhanças entre ficção e realidade?

 

Louro e Ana Maria em uma edição do Mais Você
[Louro José e “Namaria”. Imagem: Esportes iG / Reprodução]


 

DEPOIS, VOCÊ PODE LER TAMBÉM

» Monteiro Lobato e o sítio

 

» Os Simpsons

 

» Pica-pau

 

AS BRINCADEIRAS DE BASTIDORES

 

Na estória do filme, o personagem de Robin Williams trabalhava em uma emissora de TV, após ter deixado o cargo de dublador por não concordar com as falas, em outra função. Vendo vários dinossauros em meio a uma bancada, começou a brincar e inventar histórias. Tom Veiga, por sua vez, começara a fazer brincadeiras com o boneco que seria o Louro José, destacando-se em relação aos demais que poderiam se tornar Louros.

 

O ENCONTRO COM A PESSOA CERTA

 

Lá no filme, Senhorita Doubtfire entrou em contato com o diretor da TV e, mais tarde, virou um programa. Seu potencial foi visto quando esse mesmo diretor presenciara aquelas brincadeirinhas com os dinossauros e comentara sobre o fim daquele programa. Na vida real, Ana Maria Braga presenciou as piadas e representações de Tom, colocando-o para ser o louro em seu programa, ainda na RecordTV. Na Rede Globo, o personagem foi mudando, a voz foi alterada, e Tom foi ficando mais à vontade na representação.

 

ESTÓRIAS E PERSONALIDADES DIFERENTES ENTRE PESSOA E INTÉRPRETE

 

Se senhorita Doubtfire era uma senhora feliz e simpática com as crianças, idosa já sem esposo e querida na vizinhança, o personagem de Robin em sua versão “normal” passava por problemas, pois havia sido restringido do contato com os filhos e se separado de sua esposa, tendo de aprender a conviver com a separação. No nosso exemplo brasileiro, enquanto o intérprete não gostava de aparecer e nem tinha o costume de fazer algumas tiradas bem atiradas, Louro José cantava as belas atrizes globais, fazia brincadeiras e até torcia para time de futebol, contava piadas e participava de um campeonato de charadinhas.

 

Nesses personagens caracterizados, com bonecos ou até desenhos animados, existe a genialidade de quem dá vida, e realmente passam a serem seres com personalidade própria. Quando chegamos a conhecer a face do criador deles, um mundo novo se abre, pois é uma pessoa além do que conhecemos.

 

SAINDO DAS TELAS PARA AS PÁGINAS

 

O Zé Carreteiro foi um personagem criado para ilustrar situações cotidianas dos caminhoneiros em uma revista especializada. Na sugestão da linha azul 👇🏻, você tem um link para saber mais sobre esse personagem também:

 

 

E AINDA MAIS PARA VOCÊ:

👉 A História do Zé Carreteiro

 

 

GOSTOU DESTA POSTAGEM ? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS 😉!