O cubismo e a arte da construção desconstruída

Arte


Quando se deseja representar algo, nunca a representação será fiel ao original, seja por dispor em um plano, seja por distorcer alguma forma, seja por não haver a real ideia de perspectiva igual à que temos por meio de nossa visão. Porém, chegou uma época em que a Arte deixou de se preocupar tanto com isso, pois, segundo Georges Braque, "Não se imita aquilo que se quer criar".

Ele foi um dos grandes pintores que fizeram parte do movimento cubista. O cubismo representava diferentes elementos, que podiam ser reconhecidos por quem os visualizasse, porém as noções de perspectiva, sombra e posicionamento dos elementos dispostos nas pinturas não seguiam a real disposição que possuem.

Georges Braque
[Instrumentos Musicais – Georges Braque. Imagem: Pinturas em tela]


Outra característica marcante é a transformação dos elementos que compõem as pinturas cubistas em formas geométricas como cones, cubos, placas sobrepostas, etc. A ideia de desconstrução que o cubismo traz teve sua combinação perfeita com a obra ‘Guernica’, de Pablo Picasso, onde os horrores da guerra foram retratados, com partes de animais e outros elementos soltos e desfigurados.

Cèzanne, Henri Rousseau, Picasso e Braque são alguns dos expoentes deste movimento, que foi um dos grandes marcos de entrada para a arte moderna. No Brasil, Vicente Monteiro, Antônio Gomide e Tarsila do Amaral tiveram algumas obras com influência cubista.

O Cubismo se dividiu em duas fases bastante distintas. Na primeira, o cubismo analítico, entre os anos de 1907 a 1913, buscou-se uma decomposição de objetos, planos e elementos com tons de cores muito próximos, tendendo ao monocromatismo. Dentro desta fase, por volta de 1912, começam a surgir obras que dão espaço novamente ao uso da variação de cores e à reconstrução da ideia mais precisa do objeto real, quando até então o cubismo buscava a identificação, apenas.

A segunda fase cubista, chamada de cubismo sintético, se consolidou na ideia da reconstrução das formas, incorporando elementos às telas, como recortes de jornais, folhas, pedaços de madeira e papel. Pedaços de papel se tornam fundamentais na obra de Juan Gris que, assim como muitos outros pintores, aderiu ao movimento a partir de então.

Novos movimentos artísticos surgiram após o esfriar do cubismo, com o fim das colaborações entre Picasso e Braque. O cubismo, durante sua duração, foi marcante também no mundo da escultura e, mesmo não sendo a principal estrutura artística nos tempos que se passaram, seguiu como uma influência às novas criações artísticas.


E ainda mais para você: Picasso e Guernica





GOSTOU DESTA POSTAGEM? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.