Pioneirismo Inglês na Revolução Industrial

watch_later 24 de abril de 2012
comment Comentar


São várias as razões que possibilitaram o desenvolvimento industrial primeiramente na Inglaterra, pois havia vários fatores que a favoreceram, tanto no aspecto político, como no econômico. Para o desenvolvimento de uma indústria, são necessários: capital, mão de obra, máquinas, transporte, mercado consumidor e fontes de energia.

Revolução Industrial
[Imagem: Klau]



Capital: A Inglaterra acumulou capital devido à exploração de suas colônias na América e da Índia. De tão grande a quantidade de colônias inglesas, houve momentos na História mundial em que se disse que ‘sempre era dia no império britânico’.


Matéria prima e mão de obra: Foi decretada a Lei de Cercamento de campos, onde os camponeses foram expulsos das terras onde viviam. Essas terras (os antigos feudos) foram utilizadas para a criação de ovelhas, destinadas à produção de lã que viria a abastecer a Indústria Têxtil.

Os camponeses, sem opção, saíram do campo e foram para as cidades. Como o número destes camponeses era elevado e as indústrias se tornaram opção inevitável para a sobrevivência destas pessoas. Tornaram-se operários, recebendo salários baixíssimos e trabalhando quinze horas diárias ou mais. Em uma família, inclusive mulheres e crianças, por salários menores que os homens, iam trabalhar neste regime de trabalho massacrante. Desde então, os movimentos sindicais surgiram como forma de luta contra as más condições do trabalho.


Máquinas: Na Europa, até a criação da máquina a vapor, só existiam dois tipos de máquinas: a roda hidráulica e o moinho de vento, que quando eram muito bons possuíam apenas dez cavalos-vapor de potência. Ao surgirem as máquinas a vapor, marcou-se um grande salto tecnológico, principalmente com os grandes teares. Grandes a propósito de que só os grandes burgueses pudessem adquiri-los. No início, as máquinas industriais não eram muito produtivas, todavia o aperfeiçoamento tecnológico foi fazendo-as ficar mais eficientes e dispensando o uso intensivo de mão de obra nas indústrias.


Transporte: Em 1951, Oliver Cromwell decretou que os produtos que entrassem ou saíssem da Inglaterra deveriam ser transportados por navios ingleses, nos chamados Atos de Navegação e Comércio. A Inglaterra passou a controlar o comércio mundial em larga escala.


Mercado consumidor: As colônias representaram uma expressiva fatia do mercado consumidor inicial. Das colônias, os britânicos obtinham matérias primas e vendiam seus maquinofaturados.


Fontes de Energia: A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral utilizado como combustível nas máquinas industriais. Além disso, possuía jazidas de minério de ferro, importante matéria prima industrial. Atualmente, o carvão mineral foi deixado de lado como fonte de energia. É um recurso não renovável, os custos de extração são desfavoráveis e o contato direto com o carvão provoca doenças respiratórias e até mesmo câncer, devido à presença de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos, como o Benzopireno.

Além de todos estes fatores, o estabelecimento do absolutismo contribuiu na expulsão dos camponeses, e posteriormente, com o estabelecimento da Monarquia Parlamentar como regime de governo, houve maior poder político concentrado na mão dos burgueses. Juntando poder político e recursos, se não houvesse condições propícias ao desenvolvimento da Indústria, os burgueses as criariam. 


Veja também: (Ciência e Saúde) Por que comer frutas?
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)