O
BLOG DO MESTRE



Trazer uma china para alegrar o rancho, ter uns piazitos para alegrar a lida e viver em família parecem ser um destino para o xucro gaudério. E se não for assim?  


[Vídeo: Eu sou do Sul 2]


O vento forte vem trazer recados
Nos alambrados ressonando anseios
Onde mateio a minha saudade
E a longa idade me afrouxa os arreios

O tempo corre ao redor do rancho
Pelos verões me assoleando a vida
Vou revelando meus cabelos brancos
E sigo aos trancos refazendo lidas

Um dia eu sei vou mudar de rumo
E o rancho velho vai virar tapera
Quem sabe um dia voltarei no vento
Ou nas manhãs de alguma primavera

Não tive amores que me dessem frutos
O tempo curto mal dava pras lidas
Vi o piazedo na ilusão dos mates
Só eram sonhos pra enfeitar a vida

Não tive netos pra escutar meus causos
Não fiz pandorgas nem laços de imbira
A noite vira retrechando o tempo
São meus lamentos que a morte não tira


E ainda mais para você: Temporal, por Cássia Abreu




GOSTOU DESTA POSTAGEM? USANDO A BARRA DE BOTÕES, COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!