Já estou a rabiscar
Versos sobre as fontes
O parque é de abismar
Sentidos e horizontes
O vale é de encantar.
Atravessamos a ponte
Vem o beija-flor
Tirando o néctar
Batendo as asas no ar,
Tão pequenino com a cor
Variada a beijar as dálias.
Vi de perto a saracura
Com pernas longas e
Corpo de miniatura.
Esse parque é novidade
Vou passá-lo à literatura
Para todos a felicidade
Admirar essa pintura.
O sabiá canta e acasala
Aproveitando a primavera,
O bem-te-vi repete o nome,
É uma sinfonia de pássaros
O entardecer
No Parque das Fontes. 

MESSA, Francisca de Carvalho. 

Veja também: (Literatura) Morte e vida Severina (III)