Tipos de resíduos e composição gravimétrica

watch_later 23 de junho de 2014
comment Comentar
Ciência & Saúde

Os diferentes tipos de resíduos, cujo nome ‘lixo’ já tem sido abolido, recebem uma classificação, de acordo com a atividade de origem e os seus componentes químicos e substâncias presentes. Com base nesta classificação, estabelece-se uma proporção entre a quantidade de cada tipo de resíduo e o todo, sendo este dado bastante importante para a correta gestão de resíduos sólidos e realização de coleta seletiva.

[Imagem: Cultura Digital]


Esta proporção é chamada de composição gravimétrica, que é o percentual em massa (em quilogramas) de cada um dos tipos de resíduos sólidos, de acordo com a seguinte classificação:

Comercial: estabelecimentos comerciais e de serviços o geram, como supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, restaurantes, escritórios, entre outros.

Domiciliar: advém das atividades diárias das residências, sendo composto por restos de alimentos, como cascas de frutas, verduras e queijo, por exemplo; produtos deteriorados; jornais e revistas usados; garrafas (quebradas ou não, se não retornáveis); embalagens em geral; papel higiênico; guardanapos; papéis-toalha; fraldas descartáveis e muitos outros.
Em alguns casos, pode conter resíduos tóxicos, que deveriam ser descartados separadamente, como pilhas, por exemplo.

Hospitalar: descartados por postos de saúde, hospitais, farmácias, clínicas de especialidades humanas ou veterinárias (como consultórios de dentistas, por exemplo). Alguns dos componentes deste tipo de resíduo são: algodão, seringas, agulhas, restos de remédios, luvas, curativos, sangue coagulado, órgãos e tecidos (restantes de procedimentos médicos), resina sintética, filmes fotográficos, meios de cultura e quaisquer outros recipientes descartáveis utilizados em procedimentos que venham a permitir a transmissão de doenças contagiosas.
O resíduo hospitalar merece um cuidado especial em todas as etapas de descarte (acondicionamento, manipulação e disposição final). Seu descarte é realizado em embalagens especiais. Para seringas e agulhas, por exemplo, o descarte é feito em caixas de cor amarela, com símbolo indicativo. Deve ser incinerado e as cinzas geradas levadas para aterro sanitário.

Entulho: resíduos da construção civil: demolições e restos de obras, solos de escavações. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento, exceto se haver alguns tipos de contaminantes como o gesso, que provocaria reações expansivas em concretos e argamassas fabricadas com agregado originário do processamento de entulhos.

Serviços Públicos: compõem os resíduos gerados nos trabalhos de limpeza urbana, vias públicas e eventos com grande público participante, limpeza de praias, galerias, córregos, restos de podas de plantas. Contêm restos de vegetais, comida, copos e outros descartáveis, por exemplo.

Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários: assim como os resíduos hospitalares geram cuidado especial para a não transmissão de doenças, o mesmo ocorre para os resídos destes locais, que contém ou podem conter germes patogênicos, advindos de outros locais (cidades, estados e até mesmo países). Material de higiene pessoal e restos de alimentos são os principais componentes.

Industrial: originado pelos diversos ramos da indústria, como o metalúrgico, o químico, o petroquímico, o de papelaria, da indústria alimentícia, etc.
O resíduo industrial é bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas.
Necessita de tratamento especial pelo seu potencial tóxico. Todavia, em alguns casos, a própria evolução da Indústria fez com que grandes quantidades de resíduo sem destinação adequada passassem a ter utilização em escala comercial. Alguns exemplos são as escórias de alto forno e as pozolanas (cinzas volantes, cinza da casca de arroz, etc.) e outras adições usadas nos cimentos comerciais vendidos no Brasil.

Radioativo: resíduos provenientes da atividade nuclear (resíduos de atividades com urânio, césio, tório, radônio, cobalto), devendo o manuseio ocorrer apenas com equipamentos adequados e técnicos treinados para tanto.

Agrícola: resíduos sólidos das atividades agrícola e pecuária: embalagens de adubos, defensivos agrícolas, ração, restos de colheita, etc. Resíduos provenientes de pesticidas são considerados tóxicos e necessitam de tratamento especial, sendo necessária a devolução de embalagens vazias em locais de coleta adequados, sendo inadequado reaproveitar estas embalagens para outros fins.


Você também pode gostar de: (Variedades) O alumínio e a sua reciclagem





Þ Gostou desta postagem? Usando estes botões, compartilhe com seus amigos!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)