Dois pontos de opiniões diferentes entre igrejas - celibato e uso de imagens e símbolos

watch_later 23 de maio de 2014
comment Comentar
Cultura

O Brasil é um Estado laico, ou seja, há liberdade de credo para todos os cidadãos e é repudiada qualquer forma de discriminação. Mas, para tomar uma posição e assumir sua crença, é preciso conhecer os principais aspectos de cada filosofia religiosa. A Igreja Católica Romana foi, por muito tempo a religião predominante em todo o mundo, e é uma das mais seguidas em nosso país. Sob os pontos do celibato sacerdotal e o uso de imagens e símbolos, as diferentes igrejas assumem posturas diferentes da Católica. Abaixo, veremos estas diferentes opiniões.



O celibato sacerdotal não é exigido por todas as religiões. Para algumas doutrinas, há a possibilidade de se ser pastor e pai / mãe de família. Para a Igreja Católica, a vida em família exige dedicação e esforços constantes, de forma que um padre não estaria integralmente compenetrado no uso de suas funções e atribuições como a confissão e a celebração da missa se estivesse pensando em algum problema familiar. Em contraponto a esta visão, fiéis católicos e líderes de outras igrejas acreditam que a não adoção do celibato faz com que escândalos como pedofilia e casamentos anônimos sejam reduzidos. Nesse contexto, as doutrinas religiosas, permitindo ou não o casamento de sacerdotes, deixam tal exigência clara no assumir da função. No caso da igreja Católica, há a possibilidade de afastamento se, por ventura o padre descobrir que sua vocação verdadeira é de ser marido e/ou pai de família.

Quanto ao uso de imagens e símbolos, todas as doutrinas religiosas o fazem, umas mais, outras menos. As que adotam a Bíblia como livro sagrado e Jesus Cristo como protagonista exemplo de fé possuem o pão e o vinho como símbolos. Já quanto a cruz, por representar o sofrimento de Cristo, não é adotada por todas as religiões cristãs. Para os católicos, esta simboliza algo maior, o sentimento de gratidão pelo imenso sacrifício feito pela humanidade. Entretanto, o ponto mais polêmico é o uso de imagens de santos. Para diferentes religiões, os diversos santos representam quase um politeísmo, pois diferentes santos são atribuídos a diferentes causas. Não aceitar a santidade destas pessoas realmente faz sentido sob o ponto de religiões que não sejam a Católica, pois seria o mesmo que cultuar alguém santificado por outra liderança religiosa. E em alto número de santidades. Outro ponto questionado é a adoração de imagens, que é duramente criticada. Segundo lideranças católicas, não se trata de adoração, mas de veneração, ou seja, usar um elemento representando algo maior e mais significativo, como uma foto da pessoa amada na carteira, que remete à pessoa mesmo não a sendo.

Vários outros pensamentos são diferentes entre religiões, mas a tolerância e o respeito ao próximo devem ser mantidos pois, até mesmo os que optam por não seguir nenhuma religião acreditam que todos surgimos de um mesmo Deus.

Você também pode gostar de: (Cultura) Alá, Maomé e o Islamismo





Þ Gostou desta postagem? Usando estes botões, compartilhe com seus amigos!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)