Conheça dos principais tipos de queijos e os vinhos acompanhantes

watch_later 12 de setembro de 2013
comment Comentar
Alimentos


Harmonização
[Ideia francesa, a harmonização de vinhos e queijos não é tarefa fácil. Foto: Click Foz do Iguaçu]


Queijos são alimentos dignos de qualquer grande receita. Mas os próprios queijos in natura são uma grande receita, servindo como aperitivo ou lanche de muito bom gosto em dias mais frios de outono, inverno e primavera. Os primeiros cuidados estão no armazenamento, em que queijos não devem ser congelados, pois isto afeta a textura e o sabor, bem como se deve evitar de submetê-los a alta luminosidade. Em queijos armazenados fora da geladeira, é normal que ocorra o aparecimento de bolores (mesmo que não seja o Gorgonzola), que podes ser removidos com pano úmido embebido em salmoura.
Vejamos abaixo alguns tipos de queijos, com suas características e bons vinhos acompanhantes, um casamento de origem francesa, de onde surgiu a expressão "Para vender vinho, sirva queijo" nas vinícolas francesas. Porém, esta combinação (chamada pelos especialistas em gastronomia de harmonização) só é boa se bem realizada. Caso contrário, um desastre.

- Gruyère: é um queijo de origem suíça, de sabor fracamente adocicado, com textura de leveza e maciez, sendo indicado para fondue, suflês de queijo e pratos gratinados. Para seu acompanhamento, são recomendáveis os vinhos tintos (ainda jovens) da uva Cabernet Sauvignon, Merlot ou Malbec.

- Provolone: este queijo é originário da região italiana da Lombardia, sendo um dos mais famosos do mundo. Possui como diferenciais o sabor e aroma levemente defumados, podendo, na maioria das vezes, passar por um processo maior de defumação a ponto de adquirir uma fina e deliciosa casquinha. Vai bem em aperitivos, tábua de queijos ou temperado com ervas e azeite extravirgem. Como acompanhamento, pede um vinho tinto de uva Syrah.

- Gouda: produzido na região neerlandesa de mesmo nome, inicialmente no século VI, possui pequenos furos, textura amanteigada e sabor doce e frutado, que se acentua ao passar do tempo. É uma boa pedida para recheio de quiches, tortas e sanduíches, acompanhados de vinhos Cabernet Sauvignon ou Malbec.

- Gorgonzola: queijo norte-italiano com veios verdes que resultam em sabor picante, textura quebradiça e aroma acentuado. É ideal para aperitivos, molhos para saladas, massas e risotos. Para acompanhá-lo, vinho branco doce como Porto, Sauternes ou Tokay.

- Emmental: queijo suíço criado em 1293, com sabor adocicado e levemente picante, com alguns pequenos furos. É tradicional ingrediente de Fondue, sendo recomendado em tábuas de frios e sopas. Vai bem com os vinhos Cabernet Sauvignon e Merlot.

- Roquefort: Com mais de duzentos anos, este queijo francês possui massa úmida, sabor e aroma intensos. É ideal para acompanhar carnes vermelhas e incrementar o sabor de molhos. Para acompanhá-lo, recomendam-se os mesmos vinhos do queijo Gorgonzola.

- Edam: queijo neerlandês criado no local de mesmo nome, possui sabor suave frutado. É deliciosamente amanteigado, tendo sua massa revestida com uma cera vermelha ou preta, sendo indicado mais para consumo in natura, em tábuas de queijos e frios, ou em cubos em saladas. Duas boas dicas de vinhos acompanhantes são os vinhos tintos de uva Malbec ou Syrah.

- Parmesão: queijo de origem italiana, das regiões de Parma e Emilia Romana, com textura granulosa, sabor robusto e levemente picante, é indispensável em tábuas de queijos, risotos e saladas. Vai bem com vinho tinto Syrah ou Cabernet Sauvignon.

- Maasdam: este queijo neerlandês possui textura macia (levemente amanteigada), com furos espalhados pela massa e sabor adocicado. Excelente para suflês, tortas e aperitivos.

- Nata de Marajó: Queijo brasileiro, leve, fresco, recomendado para consumo junto com torradas no café da manhã. Combina com vinho branco PerrinRéserve.

- Reino: queijo brasileiro baseado no neerlandês Edam, sendo embalado em latas que conservam o sabor picante e a textura firme. Vai bem com frutas em calda e no clássico Romeu-e-Julieta, e com os vinhos tintos encorpados de uvas Tannat ou Carménère.

- Colonial Serrano: este queijo brasileiro, fabricado na serra gaúcha, divisa entre RS e SC, é suave e bem acompanhado por vinho de uvas Barbera ou Chardonnay.

- De Cabra: queijo francês de sabor marcante, com um toque de picância e aroma de ervas, apresenta uma pasta branca internamente. É ideal para incrementar saladas de folhas verdes com frutas frescas. Vai bem com vinho branco seco de uva Sauvignon Blanc, rosés ou tintos jovens como o Beaujolais francês e o italiano Bardolino.

- Brie: queijo francês criado há mais de novecentos anos, com uma casca branca aveludada que o caracteriza, além da textura delicada, interior macio e uma cremosidade sem igual. Ideal para tábuas de queijos e em saladas de folhas verdes.

- Serra do Salitre: queijo brasileiro (de MG), que traz uma resina amarela em volta do queijo que o protege e permite que continue maturando. Ao decorrer da maturação, ele fica mais forte, com um fundo adocicado e maior acidez. Vai bem com vinhos de uva Gewürztraminer.

- Camembert: queijo francês (região da Normândia), cuja origem remonta ao ano de 1791. Possui uma casca branca e aveludada com textura macia. Quando jovem, possui sabor suave, que se acentua ao passar do tempo. Vai bem com frutas exóticas ou geleia de frutas vermelhas e com vinhos tintos de uva Syrah. 







Þ Gostou desta postagem? Usando estes botões, compartilhe com seus amigos!
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)