Uma brincadeira muito séria

Cultura

 

Uma brincadeira de criança pode se tornar algo sério quando demonstrar aspectos negativos na personalidade do futuro adulto, ou falta de consciência de que aquilo que se faz hoje; produz resultados amanhã. Uma demonstração real da seriedade de uma aparente brincadeira é o uso do cerol, material altamente cortante, em cordas de pipas ou papagaios.
Alguns especialistas no assunto afirmam que há adultos envolvidos na venda das cordas que são usadas na confecção das pipas, e, portanto, pessoas capazes de saber da gravidade do que fazem; consciência que não seria tão desenvolvida nas crianças. Entretanto, cada vez mais cedo nossos jovens são ativos e espertos, fazem muitas coisas que seus pais nem sonhariam fazer com as suas idades, possuem acesso à informação e vivem em mundo cada vez mais aberto e participativo. Seria então possível usar como argumento a inocência como justificativa para pipas com cerol?

[Foto: Pipas Daniela]

A brincadeira consiste em uma competição na qual um tenta cortar a pipa do outro, isto é, até que alguém destrua o brinquedo dos demais. Neste espírito, vemos uma demonstração clara de competitividade desenfreada, muito presente em nosso mundo atual, e que devemos buscar trazer a um nível menos crítico, de preferência começando por estas crianças. Em uma brincadeira saudável, cada uma curtiria o sobrevoar de sua pipa, enfeitando com colorido os céus, sem afetar ao outro.
Além de violenta, a forma com que se soltam pipas as torna uma diversão muito perigosa. Primeiramente, as linhas cortantes, por serem bastante finas e de cor clara, são muito pouco visíveis a um transeunte, ciclista ou motociclista que estiver nas proximidades. Vários casos de morte por cortes, principalmente no pescoço, já foram registrados no Brasil. Para isso, algumas motocicletas já vêm equipadas com antenas corta-pipa. Todavia, mesmo que não houvesse tais casos, a própria segurança dos meninos que as manipulam é afetada.
Para a solução deste problema, seriam medidas cabíveis: maior fiscalização e rigor na punição dos vendedores de cordas com cerol, responsabilização dos pais ou responsáveis em caso de acidente envolvendo as pipas e campanhas de conscientização de crianças e jovens.
Outra questão importante em brincadeiras com pipas seria a existência de locais apropriados para a sua prática. Além das linhas cortantes, há os riscos referentes a um possível contato com a rede elétrica, bem como a queda em locais inapropriados como propriedades particulares, em que pode haver muros com cacos de vidro, cercas pontiagudas, etc.
Havendo os cuidados adequados, soltar pipas pode ser uma opção de entretenimento infantil, mas, como em qualquer coisa, é necessário desde cedo ensinar aos jovens que a diversão deve vir acompanhada da responsabilidade.
 

Veja também: (Cultura) A educação no Brasil

  
 

>> Gostou desta postagem? Compartilhe!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.