Dom Casmurro

watch_later 29 de novembro de 2012
comment Comentar
Clássicos Literários

Dom Casmurro é uma obra literária de Joaquim Maria Machado de Assis, que é um dos maiores, senão o maior mestre da Literatura Brasileira para muitas opiniões. Seus principais personagens são Bento Santiago e Capitolina (ou Capitu), cuja história é contada desde o tempo de criança até a vida adulta e os últimos tempos da vida de Bento, que recebeu o apelido de Casmurro por passar a maior parte de sua velhice trancado em casa, sem qualquer tipo de vida social.
A narrativa é feita em primeira pessoa, onde Bento mostra todas as expectativas que tinha diante de uma vida futura com sua melhor amiga e amada, com quem viria a casar. A mãe de Dom Casmurro fizera promessa de que seu filho seria sacerdote da Igreja, o que não veio a acontecer, após extenso dilema. Desde crianças, por Capitu ser uma criança pobre, livre e que convivia com os mais diferentes níveis econômicos, possuía uma visão de mundo mais ampla, conhecimento e autoconfiança muito maiores do que Bentinho, que era um menino muito mais recatado e, também mais inseguro.

[Foto: Blog Página por Página]

Esta insegurança fez com que, com o passar dos anos, mesmo depois de casados, Bento Santiago fosse infeliz e desconfiasse todo o tempo de sua esposa, que tinha grandiosa beleza, por sinal. Ciúmes, discussões persistentes e a suspeita de traição fizeram com que o casamento chegasse ao fim. Capitu ainda tentou manter algum contato com Bento por meio de cartas, o que foi inútil.
O fato de a narrativa ser em primeira pessoa faz com que a dúvida quanto à traição de Capitu não seja plenamente esclarecida, já que se conhece apenas a versão de Bento sobre os fatos e para que alguém consiga tirar conclusões sobre algum impasse, sempre é importante ouvir todas as partes envolvidas. Outro aspecto importante da obra, presente nas demais obras literárias do Realismo de Machado de Assis, é a presença de ricas descrições e reflexões sobre o comportamento humano nas mais diferentes situações do cotidiano.
Dom Casmurro já foi publicado por diferentes editoras e teve uma versão para a TV, exibida pela Rede Globo, onde praticamente todos os diálogos do livro foram reproduzidos, e nada mais nada menos que Maria Fernanda Cândido interpretou a fase adulta de Capitu. A série não apresentou fielmente um cenário de época, abrindo margem para cenários compostos apenas por quadros de giz ou muros marcados com pichações. Mesmo assim, a essência da história machadiana esteve presente, possibilitando um perfeito entendimento da obra.
Pela riqueza da obra, esta se encontra presente na lista de leitura de diferentes vestibulares e no currículo do ensino médio de bastantes escolas. Ao mesmo tempo em que a obra encanta pela grandeza, a visão pessimista característica da escola literária realista faz com que a leitura seja difícil em alguns trechos, além da presença de citações complementares de autores da época e vocabulário mais antigo. Para isso, algumas edições de Dom Casmurro é outras obras literárias mais antigas apresentam pequenos textos com contextos históricos e notas de texto, que são recomendáveis.
De Dom Casmurro é possível tirar importantes ensinamentos de vida. Para se manter um casamento, amor é fundamental, mas não é o único detalhe importante. É preciso ter confiança no outro, estar certo de que o sentimento é recíproco; e ter confiança em si mesmo, características presentes em Capitu e distantes em Bento. □ 

Veja também: (Literatura) Colheita, conto de Nélida Piñon.

 
  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)