Saiba o que é Botulismo Alimentar

watch_later 21 de agosto de 2012
comment Comentar



Esta doença infecciosa fez mais vítimas durante esta semana na cidade paulista de Santa Fé do Sul, em que quatro crianças foram contaminadas, supostamente pelo consumo de mortadela contaminada. O Botulismo é provocado por uma bactéria que se prolifera em alimentos em más condições de conservação, entre eles os enlatados, podendo levar a óbito e sequelas. Após o controle, por o Botulismo afetar permanentemente algumas terminações nervosas (membrana pré-sináptica), é preciso um período para criação de novas terminações, de seis meses a um ano. Apesar disso, a consciência não é afetada.
Os primeiros sintomas, após um período de incubação que varia de um dia a uma semana até oito dias, de acordo com a quantidade de toxinas presentes no alimento, são: visão dupla e embaçada, tonturas, boca seca, náuseas, vômitos, diarreia, prisão de ventre e dificuldade para urinar, além de dificuldade de exposição à luz (fotofobia). Paulatinamente, os músculos respiratórios vão sendo afetados promovendo dificuldade para engolir e falar até a paralisia dos músculos respiratórios, nos casos mais graves. Ocorre também dificuldade de locomoção e, às vezes, pneumonia e/ou desidratação.
A doença ocorre por que a bactéria Clostridium botulinum, do mesmo gênero da bactéria que provoca o tétano, libera toxinas. Os esporos desta bactéria estão em diversos alimentos, como: mel, xarope de milho, defumados, peixes, enlatados, alguns queijos, conservas e alimentos embalados a vácuo. Estes três últimos são mais perigosos por serem ambientes pobres em oxigênio, ideais para o desenvolvimento de um ser vivo anaeróbio como este bacilo. Também há contaminação pelos esporos por outras vias de entrada, mas ocorre em menor proporção, pois estes esporos estão presentes nas fezes de animais (inclusive humanas) e no solo, sendo muito resistentes.
O cuidado com os alimentos que se compra é uma forma eficaz de prevenção desta e de muitas outras doenças. Não adquira alimentos em que a conserva encontra-se turva, no caso de enlatados, não compre se a embalagem estiver estufada ou enferrujada, dando especial atenção às embalagens que estiverem amassadas, assim como vidros embaçados. Busque ferver sempre os enlatados, principalmente o palmito, responsável pela maior parte dos casos da doença, por ser consumido preferencialmente cru. Falhas nos procedimentos de esterilização também são causas da contaminação alimentar. Segundo o Portal da Saúde do SUS, As condições ideais para que a bactéria assuma a forma vegetativa, produtora de toxina, são: anaerobiose, pH alcalino ou próximo do neutro (4,8 a 8,5), atividade de água de 0,95 a 0,97 e temperatura ótima de 37ºC. Os tipos A e B se desenvolvem em temperaturas próximas das encontradas no solo (acima de 25º e até 40ºC), enquanto o tipo E é capaz de proliferação a partir de 3ºC. A toxina botulínica é termolábil, sendo inativada pelo calor, em uma temperatura de 80ºC por, no mínimo, 10 minutos. Consumir alimentos inspecionados por controle de qualidade e, quando produzir conservas caseiras por exemplo, observar as condições de armazenamento adequadas, são mais algumas formas de prevenção, pois também são recorrentes as contaminações por conservas feitas artesanalmente. Também não conserve alimentos em temperaturas acima de quinze graus Celsius.
Suspeitando-se da infecção, exames laboratoriais de presença das toxinas presentes nos esporos no sangue do enfermo ou nos alimentos possivelmente infectados são usados, sendo um deles o bioensaio em camundongos. O soro antibotulínico é utilizado no tratamento do Botulismo, todavia, faz-se necessário o acompanhamento cardiorrespiratório médico pela gravidade da doença, inclusive com internação, como ocorreu no caso das quatro crianças paulistas.  Geralmente as infecções ocorrem em mais de uma pessoa, o que leva ao diagnóstico com maior facilidade, haja vista os sintomas. Isto não indica que ocorre transmissão de pessoa para pessoa. Suspeitando-se de infecção, o tratamento precisa ser imediato para que o enfermo possa ter sua vida preservada. □ 

Em tempo: leia o post 'O que os enlatados realmente têm a ver com o Botulismo?'

Veja também: (Literatura) Morte e Vida Severina (II)


  • chevron_left
  • chevron_right

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELOS ÍCONES CIRCULARES) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

sentiment_satisfied Emojis do Google (texto para inserir)