Algumas palavrinhas e expressões da língua portuguesa (XIV)

As remissivas nos fazem passear pelos livros. 

Década: Período de dez anos. Em gráficos de funções potência ou funções exponenciais, consiste no intervalo entre ordens de grandeza de potências de dez.

Probabilidade: É o nome dado a um valor compreendido entre zero e um, que indica a chance de ocorrência de um determinado evento (ocorrência) em relação a todas as possibilidades.

Acuidade: Este termo denomina a capacidade de percepção visual ou auditiva de uma pessoa. Quão maior a acuidade visual de uma pessoa, mais esta enxerga bem.

Erro: Indica o desvio das medidas obtidas em relação à medida mais provável, em ciências que se utilizam de experimentos, tanto de laboratório quanto de pesquisa estatística. Este erro sempre existe, e esta compreendido entre mais e menos infinito.

Maneuverer: Este é um termo incorporado das línguas francesa e inglesa, que designa os manobristas de carros em estacionamentos diversos.

Remissivas: Trata-se de notas de texto que trazem informações complementares, a fim de concluir o entendimento de texto. Aparecem sob as formas de queira ver (q.v.), ver página n, confronte (c.f.), entre outras.

Apótema: Nas figuras planas, segmento de reta perpendicular a um lado de um polígono regular e que parte do centro deste.

Resiliência (II): Além do significado já apresentado, denomina a capacidade de um dado material de suportar a tensão e retornar ao seu estado original quando esta cessa.

Ecmofobia: Trata-se de um tipo de fobia em que o indivíduo possui um enorme medo de qualquer tipo de instrumento que pode picar, como alfinetes, grampos, arames e agulhas.

Materialidade: Característica de quem se importa apenas com o lado prático das coisas, desconsiderando qualquer tipo de sentimento ou emoção. No campo jurídico, designa o conjunto de provas que tornam evidente uma determinada hipótese, comprovando ou não um crime.

Goniômetro: Trata-se de uma designação geral aos instrumentos que permitem a leitura de ângulos, como compassos e teodolitos (analógico, digital, estação total). Quando permite a leitura de ângulos tanto na vertical, quanto na horizontal, usa-se a denominação goniômetro completo. Alguns exemplos são os tipos de teodolitos antes citados.

Matelassê: Consiste em tecido acolchoado, preso por pontos a um forro, muito utilizado para a criação de desenhos ou relevos em roupas diversas. Às vezes, este vocábulo também designa a roupa que contém esta peça em relevo.

Cobogó ou combogó: Nome dado a peças de concreto, gesso ou cerâmica, vazadas, que obstruem a passagem da luz, parcialmente, mas permitem a circulação de ar. Em desenho arquitetônico, a representação é análoga a de janelas. O nome se deve às iniciais dos primeiros engenheiros a utilizar estas peças em seus projetos, nos anos 30: Coimbra, Boeckmann e is. A obra em que estes utilizaram o cobogó, pela primeira vez, localizava-se em Pernambuco.

Tá ligado: Expressão usada pelos jovens, com relativa frequência, para ver se a pessoa com que estão falando está compreendendo o assunto.

Divisor de águas: Em desenhos topográficos, indica os pontos de maior altura no terreno estudado. Seu nome pode ser interpretado como o lugar onde as águas irão decidir o seu caminho.
 



 

>> Gostou desta postagem? Compartilhe!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.