O vagalume

Poesias 


Quem és tu, pobre vivente?
Que vagas triste e sozinho,
Que tens os raios da estrela,
E as asas do passarinho? 

A noite é negra; raivosos;
Os ventos correm do sul;
Não temes que eles te apaguem
A tua lanterna azul? 

Quando tu passas o lago
De estranhos fogo esplende
Dobra-se a clícia amorosa,
E a fonte mimosa pende. 

As folhas brilham, lustrosas
Como espelhos de esmeralda;
Fulge o íris nas torrentes
Da serrania na falda. 

O grilo salta das sarças;
Piam aves nos palmares;
Começa o baile dos silfos
No seio dos nenúfares. 

A tribo das mariposas,
Das mariposas azuis,
Segue teus giros no espaço,
Mimosa gota de luz! 

São elas flores sem hástea;
Tu és estrela sem céu;
Procuram elas as chamas;
Tu amas da sombra o véu. 

Quem és tu, pobre vivente?
Que vagas triste e sozinho,
Que tens os raios da estrela,
E as asas do passarinho? 

VARELA, Fagundes.
 

Veja também: (Poesias) O Sol Existe

 
 

>> Gostou desta postagem? Compartilhe!

Nenhum comentário:

Seu comentário será publicado em breve e sua dúvida ou sugestão vista pelo Mestre Blogueiro. Caso queira comentar usando o Facebook, basta usar a caixa logo abaixo desta. Muito obrigado!

NÃO ESQUEÇA DE SEGUIR O BLOG DO MESTRE NAS REDES SOCIAIS (PELO MENU ≡ OU PELA BARRA LATERAL - OU INFERIOR NO MOBILE) E ACOMPANHE AS NOVIDADES!

Tecnologia do Blogger.